Águas e ventos

Solta o ar
Que o corpo aquece.
Quanto mais se solta,
Mais se perde aquilo que entorpece.

Vem do mar
O gosto que com sal parece.
Quanto mais se gosta,
Mais a boca se enfeaquece.

Sopra um hálito
Do vento que o amor padece.
Se não vem com ele quem acalma,
Já não sabe bem se alguém merece.

Pois aquele que das aguás,
Tem o ar que o mar carece,
Traz consigo a bela alma
E entre os mais desaparece.

5 Sussurros:

Rafael disse...

Como te disse, não pára de escrever nunca... cada vez mais fico abismado com a força de teus versos.

Abração guria!!!

Zé urbano disse...

Ufa!!! Obrigado. Sem palavras mas com rimas, acabei de fazer poema que confirma minha sina, vê no blog se não és tu, minha rima.Bj

Zé urbano disse...

Oi de novo. rsrsr. Vou estar no pontoZ nos dias 04/06 06/06 10/06 e 25/06 . Vai lá, fica de cantinho...
Só em saber que estás já um carinho.Bj

Delírios Cotidianos disse...

Salve salve poetiza do além, eis o meu novo blog. Tive de desativar o antigo por motivos técnicos. Aguardo visitas.

Juliana disse...

Amo o que escreves!!

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog