O gato

O gato cruza o quarto.
Silencioso como uma nuvem,
observa-me como quem sabe
dos pensamentos turvos e inconciliáveis
que somente em minha mente cabem.

Hesita e para por um momento.
Fita-me com os olhos do azul
mais profundo do fundo do mar
e com a curiosidade felina
que por um instante perdem-se no ar.

Neste último ano de casa vazia,
tem sido minha mais nobre
e constante companhia.
Mais do que gente,
bastante amigo e presente.

E é sempre nestes raros momentos
quando mergulho nos seus olhos
sérios de mar
que percebo rapidamente
a natureza aguçada,
muito além do qualquer humano
Pensar.

3 Sussurros:

Mr. Rickes disse...

Nossa q linda homenagem ao teu companheiro de ap.
:)
Mas continuo odiando gatos.

0/

Everton "Merlin" Soares disse...

me lembra de te mostrar duas HQs sobre gatos, uma minha(narcisismos a parte) e uma e um grande artista europeu. Adoro gatos, mas depois de leres terás uma nova visão dos gatos. Adorei o poema, sutil como sempre e gostoso de ler.

Freak disse...

Que maravilha Silvana! Esse é auto-biográfico! heheeh

Eu já sou tua fãzona! Beijocas!

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog