Bicho grilo

Não se enganem comigo,
Sou largada feito um bicho grilo.

Não obedeço à regras nem consensos,
Por vezes esqueço-me o que penso
E não volto nunca atrás do que consigo.

Minha vida corre sempre muito alheia,
Às vezes perco o timbre, perco a meia.

Sabe lá, calcinha ou meia!

Mas não sou além do mais
Maior que as coisas que cativo.

3 Sussurros:

Everton Merlin disse...

Adorei!Porém não consigo te ver como um biho-grilo!hehe!

De qualquer forma, é sempre bom ler os poemas desta que na minha opinião, é uma das melhores escritoras da cidade (rasgações de seda a parte!hehe!)


hasta luego querida!

Freak disse...

Tu tens um humor que a gente não acha em lugar nenhum!

Adoro!

Mr. Rickes disse...

Prazer, eu sou o Rapha!

Sempre gostei de brincar de decifrar as pessoas e no entanto tu continuava sendo uma interrogação. Não por fazer tipo ou ser alguém com uma máscara ilusória mas por que, algumas vezes não vemos o claro... o transparente. Ou não queremos ver. No teu caso caimos num hipnotismo plural. Um mix de olhos, corpo e mente. O erro comum é tentar separar o que é único. Singular. Tentar decifrar partes do que é SILVANA!

*Talvez pra ti tenha sido apenas mais um, mas adorei esse. Bjão

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog