Sempre fui azarada!

Na janela sempre aberta
Uma pedrinha eu atirei
Ali estava, em mira reta,
O meu amor que então matei.

4 Sussurros:

Mr. Rickes disse...

Adorei esse versinho. Mesmo sento trágico.

:P

Igue disse...

Um grande e verdadeiro amor não morre assim com uma pedrinha... Ou ele não era esse amor, ou apenas sofreu um arranhão (e te proporcionou uma irrecusável oportunidade de tratar-lhe o machucado, hehehe).

Abraço!

Paula M. disse...

oiiiiii
saudade desse blog
vim avisar que voltei a ativa e mudei de endereço
agora é pessoaprolixa.blogspot.com

beijão

Jaime A. disse...

O humor negro nuama quadra "gira". Gostei muito.

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog