Refluxo

Há metafísica bastante em não pensar em nada.
Que penso eu do mundo?

Sei lá o que penso do mundo.
Se eu adoecesse pensaria nisso.
(Alberto Caeiro)

A estrela vai até a altura da luz
Depois some no espaço.
E eu que aqui estou doente
Observo tudo e aos poucos
Me desfaço.

Sobre a mesa velha e manca
A voz do
segundeiro cansa.
Quanto tempo demorei a entender
Que há coisas nesta vida
Que o pensamento não alcança.

Doente sou diferente do que sou
Quando estou sã, como o Poeta.
Penso o contrário do que penso
E não me importo se estou certa.

A noite pelo socorro dos doentes
Já não parece tão
exata!
Sei que embora esteja enferma
Desconhecer a vida não me mata.


3 Sussurros:

Mr. Rickes disse...

É a doente mais doce que já vi.

Muito lindo como sempre!

Bjus

Paula M. disse...

adoro como tu escreve bonito as coisas lindas que as vezes não consigo dizer.

muito bonito, muito doce

Jaime A. disse...

Só por citar Alberto Caeiro mostra o quanto gosta (e cultiva) o bom escrever. Continue, pois!

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog