Expiação

Esperam meus livros de poesia.
E este verso expia um tropeço,
Desta música leve, assobia,
Uma vida que já não mereço.

Se te confesso apraz um tormento,
Esta letra liberta o meu coração,
De um pecado atroz, traz o vento,
Como leve embalo da tua canção.

Como tem sorte o teu momento!
Quisera congelar-te a alma azul.
Por isso que jogo o laço no tempo
A espera de um olhar em comum.

Os pensamentos roubam os dias,
Projetam o divino encanto que És
Num turbilhão de idéias vadias
Como a vibrante bateria do Jazz.

Então a aurora apressa minha partida.
Não há mais porque estar aqui parada.
Quero um único compromisso na vida:
A rima, mais nada.

5 Sussurros:

Alice Castiel disse...

ótimo teus textos!
pelo que vejo. amiga da paula?
Bom gosto pra textos assim como pra amigas.

Phyhernandes disse...

Muito bom...
"O laço do tempo" adorei!
Dai fica a pergunta: Como não pensei nisso antes? hehehe
Muito bom!!! O poema todo é claro.

Pri C. Figueira disse...

Uauuu

Que lindo poema, como são belas as tuas palavras... Exalam uma doçura!
Lindo mesmo!!

Obrigada pela visita no meu blog e também obrigada por suas doces palavras! Volte sempre!

Quanto a escrever em forma de verso e poesia, já tentei, acho realmente lindo, mas não consigo :( meus textos fluem daquela forma! Mas prometo tentar!

Bjus

Elizeu Soares disse...

Que forma maravilhosa
de se expressar!!!!!
linda a poesia...
que Deus te abençoe!!!...
se puder passa la no meu
blog..
fica na paz...

Rody Cáceres disse...

Parabéns...lindo e melodioso..o dia que eu escrever assim ficarei feliz...uma verdadeira poesia....

Quem sou eu

Minha foto
Sou o verbo: o estado, o tempo e a ação contínua.

Pesquisar este blog